Bem-vindo ao nosso Portal de Notícias Contato10

Caiado: “Estado não pode se acovardar diante do tráfico”

Governador de Goiás foi o convidado do jornalista Mario Sergio Conti no programa Diálogos, a Globo News

Em entrevista à GloboNews na noite desta sexta-feira (16/02), o governador Ronaldo Caiado voltou a defender a segurança pública como área estratégica em Goiás e no Brasil. Convidado do programa Diálogos, apresentado por Mario Sergio Conti, ele avaliou o impacto de medidas como o controle de penitenciárias e a autonomia das polícias na redução da criminalidade no estado, que tem registrado queda expressiva em todos os crimes desde 2018.

“Se não tivermos o controle das penitenciárias, não controlamos o crime”, afirmou, ao citar investimento de R$ 111 milhões no sistema. E acrescentou que enxerga o uso de câmeras por policiais como uma desvantagem: “Quero botar câmera é no cidadão que está com tornozeleira, que, muitas vezes, coloca um papel de alumínio nela, sai fora dos limites e vai matar uma pessoa. Câmera na farda, por exemplo, não traz resultado nenhum, só faz inibir o policial”, frisou Caiado.

Nesse sentido, o governador goiano destacou que a liberdade para atuação dos profissionais de segurança pública é fundamental, assim como “treinamento, armamento e equipamentos de qualidade”. O controle do narcotráfico, segundo o chefe do Executivo, é outra forma de garantir autoridade ao Estado, a democracia e o exercício pleno de direitos pelo cidadão. “O Estado não pode se acovardar. É preciso coragem para enfrentar o crime”.

Políticas públicas

Considerado o governador mais bem avaliado do país, conforme pesquisa da Real Time Big Data divulgada em dezembro de 2023, com mais de 80% de aprovação, Caiado também tratou de política e destacou avanços promovidos em Goiás nos últimos anos. “Goiás foi o estado que mais tirou pessoas do nível da miséria, da pobreza e da extrema pobreza. Fomos ainda o primeiro lugar em diminuição da evasão escolar, com um programa copiado agora pelo governo federal: o Bolsa Estudo”, lembrou.

Até poucos anos atrás, lembrou Caiado, as penitenciárias estaduais tinham rede clandestina de wi-fi, circulação de drogas, churrascos e até quartos de motel improvisados. “Era o quartel general da bandidagem”, definiu o governador. O isolamento dos líderes de facções e a suspensão de visitas íntimas aos detentos foram algumas das medidas que se mostraram bem-sucedidas. “Deixou de ter aquele cidadão que era usado como ‘pombo-correio’ para fazer a visita e levar ordens para novos crimes”, explicou ele. “Com o controle das penitenciárias, tivemos queda da criminalidade”, concluiu.

Nos últimos cinco anos, os presídios goianos receberam investimentos e a Polícia Penal foi fortalecida. Além de ampliar vagas em unidades já existentes, houve construção de duas novas penitenciárias e aquisição de armas e equipamentos mais modernos para os policiais goianos. Cerca de R$ 268,9 milhões foram aplicados no sistema, com recursos do Tesouro Estadual, Governo Federal e outros parceiros. Também houve aumento da oferta de oportunidades de trabalho e ressocialização para os presos.

Policiais de Goiás auxiliam em busca por foragidos no Rio Grande do Norte

Mossoró, no Rio Grande do Norte, ocorrida em 4 de fevereiro. Após autorização do governador Ronaldo Caiado e da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-GO), 12 policiais penais embarcaram, sábado (17/02).

Os policiais penais são integrantes do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope) e da Gerência de Inteligência e Observatório da Diretoria-Geral de Polícia Penal. São servidores com experiência, aptidão e conhecimento em operações de extrema tensão.

“Recebemos o pedido de apoio da Secretaria Nacional de Políticas Penais, por meio do Ministério da Justiça, nesta sexta-feira (16/02). Assim que fomos autorizados, fizemos a composição da equipe e os mesmos iniciaram a missão já neste sábado”, explica o diretor-geral de Polícia Penal, Josimar Pires.

Além de veículos e armamentos, a equipe levou dois drones com visão noturna e termal, equipamentos de alta tecnologia pertencentes à DGPP. As aeronaves não tripuladas compõem o conjunto de itens recém-adquiridos pelo Governo de Goiás e investidos no sistema penitenciário goiano.

“Estamos trabalhando diariamente para recapturar foragidos da justiça, não só de Goiás. Este mês participamos da recaptura de dois foragidos na Bolívia. Também pegamos um em uma praia do Rio de Janeiro. Em dezembro, ajudamos na recaptura de um foragido na Bélgica”, revela Josimar Pires. “Vamos trabalhar na recaptura destes dois e tenho certeza que iremos lograr êxito em mais uma missão”, finaliza.

https://www.dm.com.br/politica-3/caiado-estado-nao-pode-se-acovardar-diante-do-trafico-134601

Entre em contato através
do formulário abaixo